-->

domingo, 29 de abril de 2018

5 produtos baratinhos para o cabelo

Hello people! Como estão? Estava há um tempinho para falar desses produtos e fui adiando, quase todos já acabaram, então eu tive que vim contar para vocês sobre eles. São produtos super baratinhos mas que fazem uma grande diferença no cabelo. Vamos lá? 


#1 Yamasterol 

O Yamasterol está no mercado desde 1967. Existem 4 versões dele mais conhecidas, o tradicional de babosa (amarelinho), o de nutrição (embalagem azul), o de reconstrução com queratina (embalagem rosa) e com óleo de argan, mas além destas há várias outras opções. Ele é um creme multifuncional muito bom, e serve para todos os tipos de cabelo. Pode ser usado como pré-shampoo, creme de pentear, condicionador, co-wash, hidratação e banho de creme e proteção para banhos de mar e piscina. Na própria embalagem tem instruções para cada tipo de uso. Ele já tem um efeito muito bom quando usado sozinho em qualquer uma das maneiras citadas anteriormente, além disso, ele pode ser usado aliado ao óleo de coco ou óleo de rícino. Eu costumo usar o tradicional como creme de pentear ou hidratação. Ele também tem um cheirinho que eu gosto muito. Na versão menor eu paguei R$2,70 e já estou me preparando para comprar o potão. O site do yamasterol é muito lindo e tem todos os produtos, vai lá dá uma espiada. 

#2 Queratina Líquida 

Eu gosto muito da queratina líquida da Niely Gold, e uso uma vez no mês ou a cada 15 dias, dependendo da situação do cabelo. A queratina é um ótimo repositor de massa e entra na etapa de reconstrução do cronograma capilar, porém quando usada em excesso ou inadequadamente pode provocar o efeito contrário, e prejudicar ainda mais seu cabelo. O ideal é que o tratamento seja feito a cada 15 dias ou uma vez no mês, e seguir as instruções da embalagem. Paguei R$13,00 no meu. 

#3 Hidratação de Maionese da Skala 

Muita gente não dá oportunidade a hidratações baratinhas que existem no mercado, mas eu sim. Eu comprei a hidratação de maionese da Skala por algo em torno de R$6,00, contém 1kg e eu amei, ela tem uma boa consistência e deixa o cabelo muito hidratado e macio. Tenho a intenção de comprar outras hidratações da marca, por que a minha já está no fim. Uma dica, que é algo que eu faço bastante, é potencializar a hidratação com óleos ou ampolas de vitamina (só não pode exagerar, vitamina demais também pode ser prejudicial). 

Outra dica para a utilização dessas hidratações baratinhas, é para a retirada da umectação. Já reparou o quanto é difícil lavar o cabelo depois da umectação? Parece que o óleo não sai todo. A dica é: antes de usar o shampoo, lavar o cabelo com uma hidratação, tirar todo o óleo e depois lavar normalmente. Eu não uso a escala para isso, uso a da Kanechom que tem o mesmo custo, também de 1kg, e faz esse serviço melhor e também é uma boa hidratação de baixo custo. 

#4 Tônico de Alho 

Há alguns meses atrás comecei a notar uma queda maior no cabelo (talvez pelo estresse, não sei) e o tônico de alho foi um dos produtos que me salvaram. O tônico para fortalecimento de cabelos da Gota Dourada é indicado para combate a queda de cabelo e auxiliar no crescimento. Possui duas versões, uma para 3 aplicações e outra para 9 aplicações. O produto deve ser aplicado diretamente no couro cabeludo, massageando-o, e permanecer por no mínimo 2 horas, e lavar em seguida. Ele tem um cheirinho de alho, mas nada que incomode muito, sai na lavagem. Seguindo as orientações certinhas da embalagem ele dá ótimos resultados, percebi uma melhora significativa no meu cabelo já no fim da primeira embalagem (usei o de 3 aplicações) e não deixo mais faltar aqui em casa. Comprei o de 3 aplicações por R$3,70, mas vocês podem encontrar até mais barato. 

#5 Óleo de Coco 

O óleo de coco é o queridinho de todos os tempos, desde a época de minha avó. Não é tão baratinho assim, mas vale o custo/benefício. Comprei o meu de 200 ml por R$22,00 e tem durado bastante. Uso muito para fazer umectação, ou misturada a máscara de nutrição. O cabelo fica muito mais macio, forte e com um brilho maravilhoso, e é ótimo para diminuir as pontas duplas. Item indispensável entre os produtos de cabelo.

Então, vocês usam ou já usaram algum dos produtos citados? Me conta o que achou! Beijinho e até a próxima. 

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Um resumo do último mês

Oi meus lindos, lindas e lindezas!! Como estão todos? Eu estou me recuperando de algumas coisas, mas no geral estou bem. Eu precisei sumir no último mês pois estava sem tempo para quase nada e precisava focar em algumas coisas. Até responder os amigos estava difícil. Mas resolvi compartilhar um pouquinho com vocês os acontecimentos desse mês que não foi nada fácil.

#1. Uma etapa concluída.

Falei inúmeras vezes aqui que eu estava afastada por causa do meu TCC. E acabou. Apresentei, fui aprovada e acabou. É uma sensação de alivio tão grande, uma etapa tão importante foi concluída e a sensação é maravilhosa. Passei por muitos problemas durante a execução do trabalho, desde equipamentos quebrados que levaram semanas para serem consertados até ensaios que tiveram que ser refeitos. Isso gerou atrasos na minha pesquisa e me levaram ao desespero. Esse mês de março e início de abril eu chorei o que não chorei em 2017 inteiro. Mas no fim deu tudo certo e eu apresentei meu trabalho e consegui com que ele fosse aprovado.


#2. Despedidas

Depois de todo um período de lágrimas e desespero, chegou um momento de descanso e diversão. No último sábado foi a Festa dos 100 dias da minha turma. Faltam mais ou menos 100 dias para o dia da minha formatura e fizemos nossa reunião de despedida. Fomos para um hotel fazenda fora da cidade e nos divertimos muito. Voltamos a ser crianças, brincando de pula pula, balanço e tiro-laser (de criança). Foi um momento de descontração e pudemos relembrar de vários momentos da nossa trajetória. Fiz amigos que vou levar para sempre, há pessoas que sentirei muitas saudades. E agora é uma fase incerta, que não sabemos para onde vamos, o que faremos e se nos veremos no futuro. Alguns, espero rever sempre.


Gente foram muitas fotos!! E eu amei cada uma delas!! Quem quiser conferir mais, tem chuva de foto lá no insta @grazielli.carneiro 

#3. Novos Planos

Depois de tanta coisa, vem a pergunta que não quer calar: E agora? Eu tenho vários medos e inseguranças sobre o que vou fazer agora. Eu tenho pensado muito em fazer um mestrado depois de formar, e já escolhi 3 universidades para tentar. Por outro lado também quero trabalhar com a profissão que escolhi. Essa próxima fase, vou procurar conseguir uma bolsa de mestrado e ao mesmo tempo procurar emprego (coisa que não tá fácil) e estudar para todo e qualquer concurso que aparecer.


#4. Retomada de objetivos
Por conta desse período deixei muita coisa de lado, não por querer, por falta de tempo mesmo. Agora com um pouquinho mais de tempo, não muito, vou retomar minha leituras, minhas resenhas e tudo mais que eu planejei para esse ano e não executei, ou não da maneira de gostaria.
Nesta lista, a primeria retomada de leitura é As cores do Entardecer, de Juie Kibler. Ganhei esse livro de uma amiga já tem um tempo, mas não consegui terminar a leitura, tive que reinicia-la várias vezes. Agora vou continuar de onde parei e espero conseguir trazer uma resenha sobre ele para o blog.
Vou poder retomar o projeto de filmes do mês. Fevereiro não assisti nada. Março e Abril sairão em um post só.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Resenha: O Mínimo para Viver



Título Original: To the bone
Lançamento: 2017
Direção: Marti Noxon
Elenco: Lily Collins, Keanu Reeves, Carrie Preston e mais
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA
Duração: 1h 47min
Sinopse: Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.

O mínimo para viver foi escrito e dirigido por Marti Noxon, lançado no Festival Sundance, foi logo em seguida comprado pela Netflix e fala um pouco sobre o drama dos distúrbios alimentares. O roteiro é baseado da história que a própria Marti diz ter sofrido em sua adolescência.

Nele conhecemos Ellen, uma jovem que sofre de anorexia, ultrapassando os limites da magreza a garota conta cada caloria que come. Um dia Ellen é levada há um médico de métodos polêmicos, que resolve interna-la. Na casa onde ela é internada conhecemos outros personagens com distúrbios alimentares, um grupo peculiar e bastante diversificado. Nesta fase são mostrados vários hábitos de pessoas com distúrbios, como esconder vômito, exercícios compulsivos, mastigar e não engolir, entre outras coisas.
O Mínimo para Viver é um drama forte, intenso e relevante, a magreza de Lily para este filme chega a ser assustadora. Os problemas e causas psicológicas que giram em torno da doença, e o papel da família na trama também foram marcantes. Os pais ausentes, e a falsa insensibilidade a isto foram fatores importantes para moldar a personagem principal.
O filme é realista, assim como sua protagonista, Ellen não quer ajuda, sabe que é doente mas acredita estar no controle. Seus pais parecem ter desistido da filha, até ver a realidade da situação. O pai é somente citado, completamente ausente, não aparece uma vez sequer.

Há cenas fortes e emocionantes, que me arrancaram lágrimas. Outras extremamente lindas, como a cena na “chuva” embalada pela música Water, de Jack Garrat, que trazem um fio de esperança. Você pode assistir a cena a que me refiro aqui embaixo.

O final é digno do filme, e não me decepcionou, tudo se encaixou direitinho, mexe com seu psicológico, crenças e conceitos do início ao fim.

Adorei o filme e com um tema tão importante como a anorexia, que afeta milhões de pessoas em todo mundo, e muitas vezes é subestimada, ou não é vista. Vale lembrar que a atriz principal, Lily Colins, já sofreu de anorexia, considerada recuperada. A atriz foi bastante criticada antes do lançamento do filme, pois mesmo já tendo sofrido com o distúrbio se propôs a emagrecer tanto para viver o papel, bem como pelas entrevistas dadas. Lily se destacou mais com neste do que com qualquer produção que já tenha participado.
Um dos melhores filmes que assisti em fevereiro, super recomendo a todos.

PS: O filme foi e ainda tem sido bastante criticado pela preocupação de algumas pessoas em a trama ser um "como fazer" para pessoas com distúrbios alimentares, justamente por trazer cenas tão explicitas sobre os hábitos de pessoas com anorexia e bulimia. Alguns médicos e especialistas também veem a trama como um catalisador e não benéfico para ser assistido por pessoas que sofrem da doença. Houveram preocupações semelhantes quando a Os 13 porquês

E você? Assistiu O Mínimo para Viver? Pretende assistir? Me conta o que você achou!