-->

sábado, 6 de outubro de 2012

Literatura Nacional: Amor não tem cor

Amor não tem cor é um livro infanto-juvenil nacional. Eu tenho esse livro guardado há anos e nem lembrava mais da história, então resolvi lê-lo. Levou apenas um dia. 

O livro conta a história de um casal de São Paulo, casados e sem filhos. Depois de uma conversa com o chefe, o advogado Dr. Otávio, Marijane resolve que adotar uma criança pode ser uma boa ideia e depois de alguns dias pensando no assunto decide conversar com o marido sobre o assunto. Jefferson aceita a ideia meio relutante, mas também diz que devem procurar uma criança segundo sua preferências, ou seja, uma menina recém-nascida, branca, loira e de olhos azuis. 

A princípio Marijane aceita, assim o processo começa a correr. Então quando um bebê com as especificações de Jeffeson chega ao abrigo o casal vai até lá fazer uma visita, mas Marijane se apaixona por outra criança. Um menininho negro muito bonitinho e é amor a primeira vista. Dessa forma a história do casal toma um caminho diferente e revelações inesperadas mudam o que um conhecia sobre o outro. 

É uma história bem leve, fácil de ler e rápida. Bem como a literatura infanto-juvenil quase sempre é. Gostei muito de ler novamente essa história tão simples e fofa. É encantador e antes que você se dê conta acaba. Ele também mostra aspectos sobre o racismo que não é novidade para nós, mas de certa forma nos deixa indignados. A autora consegue abordar os dois temas, o preconceito e a adoção de forma sincronizada, nos mantendo atentos. 

Se não estou enganada ele faz parte de uma coleção de livros destinados às escolas, – série espelhos (FTD) – mesmo assim é uma leitura recomendada para qualquer pessoa, independente da idade. Acho que eu me dei melhor com essa leitura hoje, li melhor do que há alguns anos atrás. 

No fim do livro também há algumas informações sobre o processo de adoção no Brasil e alguns números. É impressionante o número de crianças no Brasil que precisam de um lar e em contrapartida o número delas que encontram um. Quanto mais velha, menor é a chance dela ser adotada, e se for menino, negro ou pardo os números são ainda piores. 

Resumindo: quem tiver a oportunidade, leia. Os livros que tiramos do fundo do baú também estão com tudo, tanto quanto os lançamentos. Espero que tenham gostado. Beijoo grande!! Voltem sempre !!

14 comentários:

  1. Super adorei a sua dica! É difícil os blogs literários divulgarem ou fazerem resenhas que livros que não sejam lançamentos, e eu adoro quando encontro um post assim! ^^
    Eu amei a sua resenha e fiquei bem interessada em ler - ainda mais sendo tão rapidinho.
    Parabéns pela resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. NOssa adoro esse livros assim acho bem legal e me deu uma vontade de ler. Parece ser fofo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Legal, leio alguns livros nesse estilo por causa da escola, rs.
    Beijos

    http://cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei do tema do livro, acho que pelo que você falou tem tudo para ser uma historia linda e inspiradora.

    Beijos,
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
  5. Oooiii! Também gostei bastante do tema do livro, e acredito que gostaria muito caso lesse!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Grazy
    acho super bacana quando os autores resolvem escrever sobre esses assuntos tão falados, mas nem sempre tão praticados. Conheço um caso de adoção que a mãe teve logo de cara afinidade com a criança e hoje quem não sabe da história nem nota muito diferença sabe?!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre disse que quando me casar, gostaria muito de adotar uma criança ja maiorzinha... Sempre pensei o contrário da maioria das pessoas: adotar uma criança maior deve ser ótimo. Imagine só, não precisar trocar fralda ou ensinar a usar o banheiro! hahaha Não acho que quem adota uma criança maior perde alguma coisa. A adoção acontece primeiro no nosso coração, depois no papel. Além disso estaria retirando de um orfanato uma criança que dificilmente encontraria um lar.

    Vou procurar este livro para ler com certeza. Muito obrigada pela ótima dica d eleitura.

    Beijos!
    luvadepelica(.com.br)

    ResponderExcluir
  8. Nossa, esse livro parece ser bem gostosinho de ser lido. E o melhor: é nacional.
    Adorei a dica.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  9. Oi Grazy! Não conhecia o livro, mas gostei da temática e também por ser nacional. Acho que devemos também apoiar a literatura nacional assim como fazemos com a estrangeira.
    Apesar de gostar dos nacionais, curto mais os clássicos, como Machado de Assis.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi,

    Eu ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser bem interessante. Adoro infanto-juvenil!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. oi Grazy!

    ainda não conhecia este livro mas adorei sua resenha, parece ser uma história simples e ao mesmo tempo incrível!
    quando for a biblioteca municipal vou procurar, lá tem muitos livros infanto-juvenis

    megaa bjoo
    ;**

    ResponderExcluir
  12. Não tinha ouvido falar ainda desse livro. Eu gostei, por ele abordar assuntos importantes como adoção e preconceito. Ele me faz lembrar da temática de Isa Colli, no livro dela um amor, um verão e o milagre da vida, não fala sobre a mesma coisa, mas fala sobre a conscientização sobre o câncer. Bem legal ^^
    ^3^

    http://inspiracaoentrelinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. O livro é bem interesante mais voces deveriam aprofundar mais nos resumos! ;)

    ResponderExcluir

Comente! Mas por favor, não deixe de ler o post. Isso é muito importante.
Você pode deixar o endereço do blog, de preferencia da seguinte forma,
ex: meusantidotos (blogspot) ou meusantidotos (hospedagem), assim evitaremos que o blogger reconheça como spam.
Ficarei feliz em retribuir a visita. Volte sempre.
x.o.x.o